Faq’s

Quem pode ser dadora de óvulos?

  • Se és mulher e tens entre 18-34 anos e possuis uma boa condição física e psíquica, podes tornar-te dadora.

Quais os riscos ao doar óvulos?

  • Entre nós, praticamente nenhum. Geralmente, o processo de doação de óvulos é tolerado pelas mulheres de forma satisfatória. Ainda que possam ocorrer alguns riscos de uma forma excecional como: síndrome de hiperestimulação ovárica (que consiste numa resposta exagerada ao tratamento), infeção, hemoperitoneu ou torção ovárica. Em todos os casos, o tratamento da dadora é personalizado e monitorizado com rigor frequência para minimizar qualquer risco.

Em que consiste o tratamento de doação de óvulos?

  • O tratamento consiste em conseguir com que os teus ovários produzam mais óvulos, e esses óvulos que vão sobrar, serão doados às mulheres que deles necessitem para realizar o seu sonho de ter um filho. Para conseguir isto, é necessário que administres uma medicação durante 10-12 dias.

Doar óvulos é um ato de solidariedade?

  • A doação em todo o caso será voluntária e altruísta. Com este ato, entre nós, estás a ajudar mulheres que por diversas razões não poderam realizar o seu sonho de gerar um filho.

Há uma compensação económica por doar óvulos?

  • Segundo a norma vigente, no artigo 22.º - Lei 12/2009, sobre técnicas de Reprodução Humana Assistida, estabelece que a doação em todo o caso será voluntária e altruísta. As dadoras poderão receber uma compensação da instituição responsável pela extração, pelos custos e incómodos decorrentes da doação.

Qual é o tratamento a seguir pela dadora?

  • A medicação que é injetável, será administrada por ti mesma ou pelo pessoal da clínica, durante 10/12 dias, com o fim de estimular os ovários.
    Durante o tratamento vamos marcar várias consultas na clínica para avaliar a resposta à medicação.

A doação de óvulos tem efeitos secundários?

  • Entre nós, há muitos mitos sobre os efeitos secundários. Ao contrário do que se pensa, não adianta a menopausa, não incrementa a incidência de cancro, nem ocorre uma aparição súbita de acne ou de pelosidade, não provoca problemas de esterilidade, nem acarreta quaisquer transtornos para quando queiras ser mãe. Todas estas suposições são erradas e não tens nada que temer.

Posso ser dadora se tomo anticoncetivos?

  • Sim, mas não poderás tomá-los durante o ciclo de tratamento. O tratamento de estimulação ovárica consiste em conseguir que, com recurso à medicação, o ovário produza mais óvulos, portanto durante os dias que dura o tratamento, não se podem tomar anticoncetivos. Vamos informar-te do momento em que terás de abandonar os anticoncetivos.

Posso manter relações sexuais durante o tratamento de doação de óvulos?

  • Não é recomendável manter relações sexuais desde que começa a estimulação ovárica até à nova menstruação depois da punção folicular, tanto pelo risco de gestação múltipla como pelo risco de torsão ovárica.

Vou poder ter filhos no futuro se doar óvulos?

  • Sim. Porque doar óvulos não significa que se esgotem ou que se acelere a perda de óvulos. Uma mulher nasce com uma carga de 500.000 a 1.000.000 de óvulos. Desde o nascimento vão-se perdendo óvulos, que morrem à medida que o tempo avança e depois com as menstruações. Em cada ciclo normal começam a crescer vários óvulos mas no fim somente um alcançará o crescimento suficiente para chegar a ovular. Com o tratamento, conseguimos que vários alcancem o tamanho adequado para amadurecer sem afetar o total de óvulos que a mulher possui.

Quanto dura aproximadamente todo o processo de doação de óvulos?

  • O processo tem uma duração aproximada de 45 dias, desde que se realiza a primeira consulta informativa até à punção. Durante este tempo, vamos realizar exames ginecológicos e psicológicos, análises de sangue e consultas de controlo.

Que documentação necessito para ser dadora de óvulos?

  • Necessitas somente de ter o teu documento de identificação válido.

Em que casos uma mulher não pode utilizar os seus próprios óvulos?

  • Entre nós, através da doação de óvulos estarás a ajudar mulheres:
    • Cujos ovários não funcionam por idade ou por alguma doença que os tenha afetado.
    • Com doenças genéticas que possam transmitir à sua descendência.
    • Que não respondem à medicação ou que mesmo conseguindo responder à mesma, os seus óvulos não têm a qualidade suficiente para poder gestar.

Quem realiza a seleção de dadoras de óvulos?

  • É a equipa médica que realiza a seleção da dadora de óvulos, devendo procurar garantir a maior similitude fenotípica e imunológica com a recetora. Em caso algum poderá selecionar-se pessoalmente a dadora a pedido da recetora.

Como se usam os óvulos doados?

  • Na punção extraem-se os ovócitos, com os quais se realizará uma fecundação in vitro para criar embriões, os quais serão transferidos para a recetora e assim esta poderá tornar -se numa futura mãe.

Quantas vezes posso doar óvulos?

  • A lei de Procriação Medicamente Assistida em Portugal estabelece que podes doar óvulos no máximo 3 vezes.

Posso conhecer a identidade das crianças nascidas por Procriação Medicamente Assistida?

  • Não. O anonimato é total. A lei proíbe expressamente revelar a identidade das crianças nascidas por estas técnicas. Por isso nem as dadoras podem conhecer as crianças nem estas as dadoras.

Tenho que ser internada na clínica para realizar a punção folicular?

  • A punção folicular realiza-se no bloco sob uma sedação geral, mas precisa somente de uma estadia na clínica de 2-3 horas. Depois de ser avaliada de novo pelo ginecologista será dada a alta, com recomendações precisas.

Vão submeter-me a uma anestesia no momento da extração?

  • A extração dos ovócitos, é uma intervenção fácil na qual vais ficar 20 min sedada para que não sintas qualquer incómodo. Entre nós, é uma intervenção rápida e segura.

Qual é a legislação vigente acerca da doação?

  • A doação de gâmetas e pré-embriões está definida como um contrato gratuito, formal e confidencial concertado entre a dadora e o centro autorizado. De forma que os três requisitos da doação são:
    • Gratuitidade: a doação é um ato gratuito e altruísta, no qual só se podem compensar estritamente os incomódos físicos e os custos de deslocação e transtornos laborais que posssam ser derivados da doação – compensação económica ressarcitória. A doação nunca poderá ter um caráter lucrativo ou comercial.
    • Formalidade: o contrato entre os dadores e o centro autorizado deve estar representado por escrito
    • Anonimato: A doação é anónima, devendo garantir-se a confidencialidade dos dados da identidade dos dadores. Os filhos nascidos têm direito por si mesmos ou através dos seus representantes legais a obter informação geral dos dadores, tais como altura, peso, grupo sanguíneo, mas em nenhum caso incluirá a sua identidade.

Porque não posso doar se tenho excesso de peso?

    IMC - Excesso de peso
    Quando uma mulher candidata a dadora tem problemas de excesso de peso, não pode ser admitida pelas seguintes razões:

  • Principalmente pela sua própria saúde.
  • Quando o IMC de uma paciente é mais alto que o normal aumentam as probabilidades de aparecerem complicações no processo de recuperação dos ovócitos, assim como é maior o risco na sedação.
  • Nos casos de excesso de peso e obesidade, a dose de fármacos necessários para estimular os ovários é notavelmente superior à usada nos casos em que o peso é normal, sem esquecer que o efeito esperado dos fármacos sobre os ovários nem sempre se observa, o que implica um maior risco de cancelamento do tratamento sem chegar à punção.