Pelo Comité Editorial Blog IVI Doa

mitos doaçao ovulos

Mitos na doação de óvulos

A maternidade é o desejo de muitas mulheres. Dizem que a natureza é sábia. No entanto, ao responder a este desejo natural e à necessidade vital das mulheres se tornarem mães, por vezes, a natureza falha, causando frustração em mulheres e um vazio que às vezes acaba por afetar mesmo a sua auto-estima e o seu casamento ou relacionamentos românticos, e até mesmo a vida sexual. Hoje, os avanços da medicina permitem que praticamente qualquer mulher possa realizar seu sonho de maternidade. Existem diferentes causas de infertilidade. A fecundação de óvulos doados é o método mais avançado, ao que recorrem mulheres de mais de 40 anos quando todas as opções prévias não resultaram em sucesso. Portanto, é necessário incentivar as raparigas mais jovens a doar óvulos.

O que é doação de óvulos?

Tornamo-nos conscientes da importância de ajudar os outros através da doação de sangue, órgãos e até mesmo os nossos óvulos. Para fazer isso, os únicos requisitos para a dadora são ser uma jovem mulher com menos de 34 anos, saudável e, depois de passar por uma série de exames médicos, aparece como adequada para doação. A doação é um ato solidário, livre e altruísta.

Antes de doar, a dadora deve passar por um exame médico e psicológico rigoroso. Se for válida para a doação de gâmetas, os ciclos das dadoras e receptoras devem ser sincronizados, uma vez que os óvulos não podem ser congelados.

É um procedimento indolor para a dadora. Além disso, é compensada com uma quantia de dinheiro pelos dias em que estará sem trabalhar e pelo incómodo de ir para a clínica, fazer os testes e submeter-se às regras da doação.

Donante V

 

Mitos e dúvidas sobre doação de óvulos

Tem sido praticado desde o início dos anos 80, mas ainda há muitas dúvidas sobre esta técnica. Devemos esclarecer que doar ovos não vai impedir que a dadora engravide no futuro, nem vai ter consequências negativas para a saúde. Algumas mulheres pensam que se doarem os seus óvulos, ficam sem eles para quando querem ser mães. No entanto, esclarecemos que todas as mulheres nascem com um certo número de óvulos que depende de cada mulher. Todos os meses, o organismo liberta uma série de óvulos. Apenas um deles será maduro o suficiente para ser fertilizado. O resto deles, desaparecem com a menstruação. Na doação o que é feito é aproveitar todos esses óvulos que seriam descartados pelo próprio corpo.

A dadora é submetida a um tratamento de estimulação ovárica para todos aqueles óvulos virem a ser concretizadas. Sempre controlado pelo médico. O processo leva apenas uma semana, na qual se pode ter uma vida normal. No dia da punção, a dadora precisará de descansar por 24 horas. A dadora não pode ter relações sexuais até que chegue a seguinte menstruação, devido ao alto risco de gravidez.

Estes óvulos são inseminados artificialmente com o sémen do pai da criança e implantados no útero da receptora. Nem o bebé nem a receptora conhecem a identidade da dadora.

A estimulação ovárica não causa cancro ou outras doenças. Em alguns casos, sente-se um pouco de dor pélvica e inchaço abdominal, mas é raro.

Atreve-te a doar óvulos para ajudar outras mulheres a serem mães. Receberás grátis uma revisão ginecológica completo gratuita.