doação de óvulos a uma irmã

Doar óvulos a uma irmã. É possível?

Muitas mulheres têm irmãs que foram diagnosticadas com infertilidade. Portanto, a primeira pergunta que pode surgir é se em Portugal é possível doar óvulos a uma irmã.
Se a tua irmã não pode ter filhos naturalmente por alguma razão e tu tens idade para engravidar e não tens problemas reprodutivos, descubra se é possível doar óvulos entre irmãs no nosso país, caso desejes doar os teus.

O que a lei diz sobre a doação de óvulos entre irmãs?

Em Portugal, a legislação que aborda detalhadamente toda a questão da doação de óvulos é a Lei 32/2006, sobre Técnicas de Procriação Medicamente Assistida. Esta lei foi atualizada e, atualmente, deixa clara que o ato de doar óvulos não pode ser anónimo, ou seja, a dadora deve ser conhecida.
Por esse motivo, a opção de doar óvulos a uma irmã é cada vez mais real. A maior barreira que sempre existiu em relação a essa ação foi a exigência de anonimato da dadora para proteger o direito à privacidade de todos os envolvidos no processo de procriação medicamente assistida, por um lado, das mulheres dadoras de óvulos e, por outro lado, das mulheres que os recebem e também dos seus filhos, de modo a evitar qualquer tipo de problema futuro.
Agora, cada vez mais e mais países estão a alterar esta lei, a favor da identidade do doador, favorecendo assim a doação de óvulos entre irmãs.

doação de óvulos a uma irmã

Principais requisitos para doar óvulos em Portugal

A doação de óvulos em Portugal é um ato altruísta que uma mulher decide realizar quando quer ajudar outras mulheres no seu caminho rumo à maternidade. No entanto, não é qualquer mulher que pode ser dadora de óvulos. É necessário corresponder a uma série de requisitos.
Em Portugal, conforme determinado pela Lei 32/2006 acima mencionada, sobre técnicas de procriação medicamente assistida, a idade mínima para ser dadora de óvulos é de 18 anos e a idade máxima são os 34 anos.
Da mesma forma, todas as mulheres que desejam tornar-se dadoras de óvulos devem passar por uma série de exames médicos para descartar a presença de qualquer anomalia hormonal, psicológica, genética ou infeciosa. Muitas meninas, como é normal, têm muitas dúvidas antes de doarem, por exemplo, se a identidade da dadora será conhecida, se se pode doar óvulos com ovários poliquísticos, etc. Todas essas dúvidas serão sempre esclarecidas pela nossa equipa médica, que estará sempre ao teu lado.

Que tratamento deve seguir uma dadora de óvulos?

Para garantir o sucesso do processo de doação de óvulos é conveniente que, além de descartar problemas a nível da saúde da dadora, que esta também se submeta a um tratamento específico para a doação dos óvulos.
Um tratamento para a extração de óvulos tem uma duração aproximada de 10 a 12 dias e consiste em várias etapas. Por um lado, o primeiro passo é a estimulação ovárica da mulher dadora, através de medicamentos, um processo que geralmente demora cerca de 7 dias.
Assim que os médicos determinem que os óvulos estão prontos para a extração, será feita uma consulta com a dadora para a remoção dos óvulos, que será feita sob sedação. Após a extração, a dadora deve passar um dia em repouso para evitar desconforto e recuperar com normalidade, após esse período de descanso.