dst portada

As 8 DST mais comuns

Possivelmente já ouvimos diversas vezes falar das DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis), mas não sabemos exactamente o que são, quais os sintomas, nem mesmo os tipos que existem. Na realidade, há muitas jovens e adultas que desconhecem que são portadoras dessas doenças, e outras que não têm os cuidados necessários para as prevenir e controlar.

É por isso que hoje vamos clarificar tudo o que deves saber sobre as DSTs, e quais as mais comuns, para que estejas informada e saibas como evitá-las.

O que são as DSTs?

São infecções causadas por bactéricas, vírus, parasitas ou fungos, que se transmitem de uma pessoa para a outra através do acto sexual.

A maior parte das DSTs afecta tanto homens como mulheres, mas em muitos casos estas doenças podem causar mais problemas na saúde das mulheres.

Os sintomas destas doenças nem sempre são claros. Algumas delas são assintomáticas, enquanto outras são facilmente detectadas. Porém, são todas contagiosas e antes de qualquer relação, deve-se usar sempre protecção, para evitar um possível contágio.

Perante qualquer dúvida, e para descartar ou diagnosticar alguma destas doenças, é importante efectuar uma citologia vaginal (exame papanicolau), análises ao sangue e à urina.

dst chica

Quais são as DSTs mais comuns?

Vamos então falar-vos das 8 mais comuns e os seus sintomas, para que estejam informadas e se possam precaver e reagir o quanto antes, perante estas doenças:

  • Clamídia. É considerada a doença bacteriológica mais comum. Transmite-se através do sexo vaginal, anal ou oral, e inclusivamente de mãe para filho durante a gravidez. É chamada a “infecção silenciosa” já que normalmente não apresenta sintomas. Pode infectar as células do colo do útero, a uretra e o reto. Os principais sintomas são: fluxo abundante, sangramento anormal e dores ao ter relações sexuais ou a urinar.
  • Gonorréia. É uma infecção bacteriológica que pode infectar principalmente a uretra, o colo do útero, o reto e o anos. Os sintomas normalmente surgem entre 1 e 14 dias após a relação sexual e podem ser: ardor ao urinar, fluxo vaginal amarelado e irritação do anos.
  • Sífilis. É transmitida via sexo oral, vaginal e anal, ou em alguns casos, através do contacto com a pele de alguém infectado. Os sintomas são semelhantes aos da gripe, tornando-se por vezes difícil de identificar.
  • Herpes genital. É semelhante ao que aparece na boca e transmite-se no sexo oral. Tal como acontece com o herpes labial, quando o vírus entra no corpo, fica durante toda a vida da pessoa infectada. Sobre os sintomas: surgem umas úlceras (ou feridas) à volta da vagina, que aí costumam permanecer, muito tempo depois do vírus ter sido contraído.
  • VIH / SIDA. Este vírus tão conhecido, ataca as células do sistema imunitário e destrói-as, tornando o corpo incapaz de se defender de outras infecções. Até ao momento não foi descoberta cura para esta doença, que se transmite através do sangue, de fluídos vaginais, do sémen e do leite materno. Um dos problemas deste vírus é que os sintomas não surgem de imediato e a sua presença apenas é diagnosticada através de um exame ao sangue.
  • Tricomoníase. É uma DST muito comum, que causa infecção nas células da vagina e da uretra. Os síntomas são corrimento branco ou com mau odor, comichão ou ardor vaginal e desconforto abdominal. É importante realçar que quase metade das mulheres infectadas, não apresenta nenhum destes sintomas.
  • Vírus do Papiloma Humano (HPV). Condilomas ou verrugas genitais, são muito comuns e contagiosas. São causadas pelo vírus do papiloma humano, que se transmite através de relações sexuais ou do contacto de pele com pele. Pode chegar a causar cancro do colo do útero , e os seus principais sintomas são o aparecimento de verrugas e mal estar genital.
  • Candidíase. Considerada também uma infecção vaginal, é causada pelo fungo cândida que vive na nossa pele, mas que em determinadas ocasiões se reproduz, causando esta doença. São muitos os factores que favorecem o seu aparecimento, desde o uso de roupa justa, a doenças que afectam o sistema imunitário. Este fungo é transmitido através de relações sexuais e causa sintomas como inflamação vaginal e excesso de corrimento esbranquiçado.

Na sua maioria, as DSTs podem ser tratadas e eliminadas a tempo – em alguns casos apenas com a toma de antibióticos. Então, nem penses duas vezes… ao menor sintoma que se pareça com o que descrevemos acima, procurar um médico é sempre a melhor solução.

 dst agadecida